Junção de Núcleos de Saúde foi pauta da Reunião Ordinária do CES-MG

Reunião ainda teve a apresentação do Plano Estadual de Saúde 2020-2023

por André Barros (Estagiário de Jornalismo/CES-MG)

O Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG) realizou nesta segunda-feira (10), em Belo Horizonte/MG, sua reunião ordinária mensal com as conselheiras e conselheiros estaduais de saúde.

A reunião teve início com o balanço de atividades da Comissão de Assistência Farmacêutica (CIAF-MG), coordenada interinamente por Aline Esteves Pacheco (Amapem) e pela Comissão de Estadual de Reforma Psiquiátrica (CERP-MG), coordenada pela secretária-geral do CES-MG, Lourdes Machado (CRP-MG).

Plenária do CES-MG na reunião ordinária

Nos informes, o vice-presidente do CES-MG, Ederson Alves da Silva (CUT-MG) falou sobre o curso “Formação para o Controle Social no SUS”, que irá abranger vários municípios. O conselheiro Eduardo Souza (Morhan) falou sobre as ações da campanha Janeiro Roxo, realizadas em Uberlândia. A 1ª diretora de comunicação e informação, Fernanda Coelho (Coletivo BIL) citou o Dia da Visibilidade Trans, comemorado em 29 de janeiro e o repúdio à fala do presidente da República sobre as pessoas com HIV.

A conselheira Claudete Liz de Almeida (UGT) questionou a falta de ônibus mamógrafos, cujo objetivo é a identificação precoce do câncer de mama. E também solicitou à Mesa Diretora do Conselho que acione a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), uma ampla divulgação de hospitais e clínicas conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), com exames especializados em prevenção de câncer de mama e câncer de próstata.

Já a conselheira Terezinha Oliveira (FADEMG) cobrou apoio da SES-MG em relação aos municípios atingidos pelas chuvas do último mês. Ela aproveitou sua fala para contar a dificuldade que cadeirantes têm em conseguir cadeiras de rodas para locomoção. “Nós que temos que nos locomover pela cidade estamos cada dia mais prejudicados”, disse. Ela ainda disse que o os serviços de saúde bucal do SUS estão em uma situação crítica. “Temos que ter nossos direitos assegurados”, desabafou.

Mesa Diretora do CES-MG na reunião ordinária

O conselheiro Erli Rodrigues, destacou em sua fala, os crimes que atingiram Mariana (2015) e Brumadinho (2019), provocados pela mineração. “Não existe ninguém que consiga barrar essas mineradoras, elas fazem o que querem sem ter consequências”, afirmou.

Explicações da SES-MG

Outro ponto de pauta, foi a junção dos Núcleos de Atenção Primária à Saúde: (NAPRIS) com os Núcleos de Redes de Atenção (NRAS) da SES-MG. A representante da Secretaria, Renata Abreu, explicou que essa medida administrativa teve como base a lógica das Redes de Atenção à Saúde, e que não teve diminuição dos serviços assistenciais.

Questionada pelas conselheiras e conselheiros sobre os possíveis cortes de pessoal e prejuízo nos serviços, Claudia Hermínia de Lima e Silva, da SES-MG, explicou que antes as equipes estavam fragmentadas e com problemas de compartilhamento de ações. “A junção veio no sentido de resolver problemas e agilizar os serviços, dando continuidade à assistência da população”, disse.

O Plenário decidiu que essa junção deve ter parecer da Câmara Técnica de Gestão da Força de Trabalho (CTGFT) do CES-MG. O parecer será apresentado na reunião ordinária do próximo mês.

PES

A reunião contou ainda com a apresentação do Plano Estadual de Saúde (PES) 2020-2023 por Matheus Aguiar, da Assessoria Estratégica da SES-MG. O Plenário questionou o formato dos documentos, assim, uma nova reunião será realizada em 10/03/2020 com a equipe da Secretaria para alinhamentos e as conselheiras e os conselheiros das Câmaras Técnicas irão analisar o Plano.

Matheus Aguiar (SES-MG) durante apresentação do PES 2020-2023

67 total views, 1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Accessibility