Funed é pauta de audiência pública na ALMG

A Comissão de Educação, Ciência e Tecnologia da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) promoveu uma audiência pública no dia 10 de junho, com o objetivo de abordar importância da Fundação Ezequiel Dias (Funed), sua capacidade técnico-científica para desenvolver e produzir vacinas contra a covid-19, elucidando as circunstâncias do fracasso das negociações entre o governo de Minas e a farmacêutica Sinopharm para a produção dos imunizantes e, ainda, analisar os impactos causados pelo Projeto de Lei nº 2.509, de 2021 do governo do Estado, que cria o Centro Mineiro de Controle de Doenças, Ensino, Pesquisa e Vigilância em Saúde Ezequiel Dias (CMC).

 
O vice-presidente do CES-MG, Ederson Alves, participou da audiência e citou a importância da Funed para Minas Gerais e para o Sistema Único de Saúde (SUS). Ederson citou o fato dos investimentos feitos pelo governo de Minas na Saúde em 2020 não chegarem ao mínimo Constitucional de 12%, o que enfraquece o SUS no estado. O baixo investimento fez de Minas Gerais o estado que menos investiu na área da saúde, no ano do início da pandemia de covid-19.  “O governo precisa investir para garantir qualidade”, assegura Ederson, que acrescenta que se o governo tivesse investido na Funed para a produção de vacinas anti-covid-19, hoje a Fundação poderia manter uma parceria na produção da vacina com a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). “Hoje a Funed não gera prejuízos ao estado, ela consegue se auto-sustentar”, defende o vice-presidente do CES-MG.

Também participaram da audiência presidida pela deputada Beatriz Cerqueira, servidoras e servidores da Funed; Sindicato de Farmacêuticas/os, autoridades sanitárias do estado, ex-presidentes da Fundação.


Deliberação contrária ao CMC


Ederson reafirmou o posicionamento contrário do CES-MG à criação do CMC. “A decisão do CES precisa ser respeitada pela Secretária de Estado da Saúde (SES-MG) e pelo governo. As instituições precisam de investimento, pois pedem socorro, não de uma junção”, finalizou.

Como encaminhamento, as notas da Audiência Pública serão enviadas para o presidente da Comissão de Constituição e Justiça, Sávio Souza Cruz e para o relator Cristiano Silveira, comissão onde o projeto encontra-se atualmente.

37 total views, 15 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Accessibility