O Carnaval e a diversidade

Ao iniciar um ano, as energias se renovam, com novas promessas e expectativas. Em Belo Horizonte, a primeira celebração do carnaval ocorreu há mais de 100 anos, em 1897, na praça da Liberdade, e hoje, essa manifestação se expandiu e vem se democratizando cada vez mais. Atualmente, existem centenas de blocos populares, além de eventos fechados, espalhados por toda Minas Gerais. A festa que chegou ao Brasil por meio de portugueses, ganhou significados únicos no país e agora é visto como um festival ocidental e cristão, mas que abraça as diversidades e minorias, permitindo que as pessoas se expressem como elas realmente são, sem julgamentos, ofensas ou preconceitos.

Por ocorrer em fevereiro ou março, bem no primeiro trimestre, assim que o relógio marca meia-noite do dia 1 de janeiro, muitas pessoas já ficam à espera do carnaval. Apesar de ser conhecido também pelos desfiles de escolas de samba famosas como Beija-Flor, Mangueira, Portela ou Vai-Vai, na capital mineira, o que predomina são os diversos, animados e coloridos blocos de rua. São gratuitos, acolhedores, acessíveis a qualquer pessoa.

O CES-MG apoia toda e qualquer expressão cultural popular, que impulsionem a alegria, o amor, a festa e também a economia da cidade que, inclusive, estimula o turismo.

E lembre-se, o carnaval é feito para que as pessoas possam curtir, então, é importante cuidar da saúde, não se esquecendo de passar protetor solar, beber bastante água e sempre usar preservativo.

Um carnaval belo é um carnaval com pessoas felizes.

344 total views, 1 views today

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Accessibility